segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Mais uma vez a mesma história do coração partido

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Prometi para mim que não escreveria mais sobre ti. Escrevi. Tentei parar de pensar em você, é pensei.
Já está fora do controle, minha mão escreve sobre você sem eu perceber, meu subconsciente transmite a tua imagem e é sem querer, tento, juro. Prometi para deus e o mundo esquecer-te, mas não tá dando certo."Fodeu" eu penso, me encontrei quando te conheci, demorei para reconhecer que o meu "eu" alegre estava em você e agora veja, justamente eu que dizia que não te amava agora te amo, timidamente descontrolavelmente ao mesmo tempo. Eis um coração acelerado e triste, porra eu tô triste de novo, socorro. Te vi me olhando descaradamente, sorri, longe do teu olhar. E agora? Me apaixonei mais uma vez pelo cara errado, mais essa!
Vou arrumar minha bagagem e sumir e (tentar) esquecer de ti, o que tu fez? Arrancou o meu coração do meu peito e levou pra ti, devolva-o imediatamente oras! Por favor, devolva.
Logo ele, o cara que eu nunca imaginaria, o último cara que eu olharia muito menos me apaixonaria tomou o meu coração.
Ô céus, mais uma vez a mesma história de amor bagunçado pra minha vida, haja palavras pra tamanha melancolia. Mas esse texto não é sobre você, é sobre eu tentando não me apaixonar (mais).

Eu e o caus.


Gritei;
O eco me gritou de volta
Não havia ninguém a não ser eu mesma
Me perdi no meio do nada
no branco sem fim
em uma esfera onde não exista mais nada
e nem saída.
disorder © 2014