sábado, 7 de março de 2015

sábado, 7 de março de 2015

Eu sou todos os cinco minutos de Be Quiet And Drive. Sou um desastre e não sei dançar. Tenho um jeito meio torto de amar e não levo jeito para abraços. Sou amante do silêncio. Adoro o jeito como a cidade fica a noite. Sempre acho que esqueci alguma coisa, na maioria das vezes estou certa disso. Sou magrela e tenho unhas grandes que só pinto de preto. Me fascino tão rápido por histórias bizarras, tal como serial killers e massacres. Acredito em tudo ao mesmo que não acredito em nada. Não gosto de falar. Choro sofregamente por tudo e sempre acho que a vida pode acabar em um minuto. Tenho olheiras que jamais saem, marcas das minhas noites em claro por pensar demais. Minhas mãos estão sempre geladas. Eu tropeço em tudo e nunca presto atenção em nada, talvez por passar tempo demais no mundo da lua. Gosto dos pôsteres grudados na parede do meu quarto, passo horas olhando para o pedacinho do céu da minha janela. Acho que o mundo é tão grande e eu tão pequena.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Faz parte do teu show

segunda-feira, 2 de março de 2015

Te escrevo com letras pretas todo o meu sentimento, os quais já não cabem mais no amontoado do meu peito. Esse teu jeito de ser todo dado ao mundo, boêmio e poético que me faz querer-te perto, baby você é um enigma no qual adoraria desvendar, um desajustado no qual adoraria colocar na linha, na minha linha.
Fico contando com o acaso para que eu possa lhe encontrar em alguma esquina dessa cidade de loucos e poder ouvir a tua risada repetidas vezes. Quero fugir contigo para aonde quiseres ir, qualquer lugar junto de ti seria o melhor lugar que poderia existir, me entregarei toda para você. Mostra-me que a solidão não é tão bonita quanto eu pensava, canta Cazuza para mim porque isso tudo faz parte do teu show, meu amor.

disorder © 2014