domingo, 5 de outubro de 2014

Quando você apareceu

domingo, 5 de outubro de 2014
quando você apareceu filtrou todos os meus medos, virou parte de mim como uma peça importante que me fizesse funcionar corretamente. quando você apareceu as coisas bonitas tornaram-se mais bonitas, você foi como o apoio que eu precisava e me escutava mesmo sem eu te dizer, e me salvado e me entregado amor quando eu mais precisava sem ter dito. quando você apareceu meu interior floresceu e foi como se você me conhecesse há eras porque me decifrou como a tua charada favorita.
quando você apareceu arrumou toda a minha bagunça perfeitamente e me fez sentir como se eu fosse o teu filme preferido, mostrou-me todos os sentimentos bonitos, até os que eu não conhecia. você não deixou que eu lutasse conta o mundo sozinha e me levou para casa a salvo, tu é mais bonito que aquele modelo do poster na minha parede. quando você apareceu e sorriu tudo parou; foi como se o mundo todo congelasse só pra ver teu sorriso e os meus olhos ao vê-lo, você trouxe toda a luz que eu precisava.
quando você apareceu me fez sentir infinita e viva outra vez e libertou-me da minha prisão interior, fez com que acabasse todo o vazio e a desordem emocional.
quando você apareceu foi como se eu tivesse escutado minha música favorita pela primeira vez.

nota mental:

um único telefonema de madrugada, era engano; o que me fez acreditar que estava sozinha.
"é só uma temporada de tristeza" pensei. percebi que as coisas parecem ser mais agudas pela madrugada, os amores são mais intensos, um final é mais dolorido e o silencio é ensurdecedor, me resta mais umas gotas de esperança, meu chá já acabou e eu me lembrei que a vida é tirana. claro que as coisas não são sempre cinzas, mas é que me sinto em um filme dos anos 20. mas daqui da minha janela observando esse mundo, essa gente, percebo suas angústias particulares passando despercebidas nessa imensidão egoísta e sem tempo, acredito novamente que estou sozinha. nada muda, só parece diferente ao passar dos anos, as histórias são as mesmas, só quem mudam são os protagonistas. esse blá blá blá é sempre o mesmo. às vezes eu acho que ninguém está disposto a ouvir as reclamações do outro realmente, por isso as pessoas sempre parecem estar no mundo da lua quando você conta daquela coisa chata. meu caro, estamos sozinhos nesse mundo gigantesco, a nossa tristeza não tem solução permanente.

minha dor de cabeça ainda não passou.
disorder © 2014