quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Ode aos sentimentos

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013
Sinto. Sinto demais, sinto o que devo. Sinto demasiadamente. Sinto e meu coração vive acelerado. Sou movida a base de sentimentos e que sentimentos, sinto-me patética. Sinto e choro porque sinto. Não gosto de sentir, sinto de mais e sinto o que não deveria. Sorri, eu sinto. Merda.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013
Fica um pouco mais moreno, vamos terminar nossa valsa.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013
Só não leve tão a sério essa minha cara demasiada triste e meus lamentos.
Estou me transformando em um amontoado de sensações ruins e cansaço.

sábado, 30 de novembro de 2013

Lykke Li - Possibility

sábado, 30 de novembro de 2013

So tell me when you hear my heart stop

Esses olhos nômades que me prendem em você, teu vazio é tão imenso que me acomodei nele. Sinto que necessito do teu corpo dia e noite, você faz com que todo o frio e a escuridão se vá de forma com que pareça que nunca mais voltará. Beijo-te e você beija minhas lágrimas. Teu corpo magro posicionado de frente para janela contra a luz da lua parece uma pintura, tua voz tão calma contando histórias sobre a noite é melhor que qualquer sinfonia de Debussy.

sou um vazio

Eu me tornei inadequada e sozinha como um velho rabugento, minh'alma esta apodrecendo aos poucos. Meu rosto transmite melancolia constante. A grama e o céu são cinzas.

domingo, 24 de novembro de 2013

20 anos de um acústico épico

domingo, 24 de novembro de 2013

Há exatos 20 anos o Nirvana realizava o seu primeiro e único Acústico na MTV, o acústico teve boas críticas, pois transmitiu toda a energia da banda e mostrou que aqueles quatro caras não estavam para brincadeira.
 O show contou com a presença dos Meat Puppets, porque naquele momento o Nirvana estava em uma turnê com os mesmos.
 A fonte de inspiração do grupo foi o álbum The Winding Sheet de Mark Lanegan, pois Dave Grohl alegou que eles viram as edições anteriores do MTV Unplugged e não gostaram, alem dos covers dos Meat Puppets eles cantaram a canção "The Man Who  Sold the World" de David Bowie e a ideia de realizar um show totalmente acústico deixou Cobain,  o líder do grupo, totalmente nervoso.
A banda se dedicou intensamente aos ensaios, e tiveram problemas para tocar várias canções.
 Cobain discordou da MTV com o modo que o canal queria apresentar a performance, alem disso, e de vários outros problemas, Kurt se recusou a tocar, mas tudo melhorou quando naquela mesma tarde ele apareceu para ensaiar.
Bem, resumindo o que seria um show histórico para a MTV, o clima da apresentação foi bem macabra, havia velas por todo lado e liríos, a ideia de Cobain foi para que o lugar se parecesse mesmo com um funeral.
 "Você quer dizer como um funeral?" perguntou o produtor do show.
"Exatamente. Como um funeral." respondeu Kurt.
A banda gravou o show inteiro em apenas um take, ao contrário de várias outras bandas, seis das quatorze canções eram covers e um dos covers mais emocionantes foi "Where Did You Sleep Last Night" inspirado  pelo blues de Leadbelly que terminou com o setlist, no final os produtores discutiram com Cobain porque queriam um bis, mas o cantor alegou que não poderia ter um perfeito desempenho.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

o mundo fora do meu cobertor é assustador.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013
os monstros debaixo da cama são inofensivos comparados com os da vida.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Mais um clichê.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013
Eu sei que ninguém quer saber, mas dói. Dói te ver todo o santo dia e não falar contigo. Tenho saudade. Saudade das nossas conversas longas. Você era a minha poesia. E agora só é um resumo mal feito que não sei mais como terminar. 

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A escuridão do beco

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Eu me mantive quieta, sabia que ninguém seria capaz de entender tamanha confusão, nem eu entendia. Porra, como é possível uma confusão caber dentro de uma pessoa? Isso é exagero, só posso estar exagerando, é normal, afinal, sou conhecida pelos meus exageros constantes. Tem que ser, porque se eu estiver realmente apaixonada por aquele cara vou jogar a minha vida no ralo, junto com toda aquela água.  
Tudo o que eu consigo pensar é em como estou fodida. O que eu tenho na cabeça em? Pode dizer, seja sincero, preciso de alguém que tem um pouquinho de sanidade, justamente aquele cara, ele gosta de cervejas e eu não, ele gosta de cigarros e eu não, ele é tão problemático.
 Mas que diabos eu penso? Quero estragar a minha vida, só pode. Com tantos caras legais para eu me apaixonar fui me apaixonar por ele, não que ele não seja legal, é que ele tem os mesmos problemas que eu. Entende? Não, é claro que não. Estou fodida pra caralho, veja só como o meu vocabulário está vulgar, será que estou enlouquecendo? Sim, para me apaixonar por um cara em uma boatezinha qualquer, mas foi tão surreal e lindo. Imagine só: Eu cheguei naquele beco imundo e escuro, tinha um lugarzinho no fim dele com luzes coloridas e uma música muito alta e boa, estava vestida com um vestido preto e justo, minha jaqueta de couro preta e surrada, meia calça ¾ e coturno, bem eu entrei e sentei naquele balcão e pedi uma coisa sem álcool e quando virei lá estava ele, com uma cara de desinteresse bebendo uísque, ele olhou pra mim eu ainda estava lá o olhando como se nunca tivesse visto um cara na minha vida. E Sex On Fire tocando no fundo, puta que pariu como Kings Of Leon pôde fazer tanto sentido naquela hora?
Ele levantou e se sentou ao meu lado, ficou um tempo quieto e quando eu já estava ficando incomodada resolvi falar bem na mesma hora que ele:
-Ahn, oi...
-Oi. Eu disse baixo, quase sussurrando.
- Bem, vi que você estava me olhando e então resolvi falar com você, me chamo Guilherme e você?
- É, percebi que você é o único que não estava dançando, meu nome é Cecília.
E assim prosseguiu a noite, conversamos, dançamos, saímos da boate e andamos pela imensa São Paulo vazia. Ele era o tipo de cara ideal, magro e sem pelos, todo tatuado, cabelo médio e estava vestindo uma camisa dos Strokes quase disfarçada embaixo da jaqueta, como pode existir alguém tão perfeito?
Ele resolveu me levar para casa: Não posso deixar uma moça tão bonita sair sozinha por essas ruas.  Quando chegamos o convidei para entrar, ele estava exausto demais então decidiu ir, mas me deu o seu número e o melhor beijo da minha vida. 

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Desabafo #1

quinta-feira, 31 de outubro de 2013
Hoje, dia 30 de outubro de 2013 me aproximei do declínio mais uma vez, queria gritar, mas não gritei, queria chorar, mas não chorei, apenas tapei o meu rosto com as mãos para que as pessoas não percebessem o meu estado deplorável.
Céus, onde eu fui parar? Que vergonhoso! Logo eu que sempre quis parecer em ordem estava um caos, não sei onde estava com a cabeça. Tudo por causa dele. Aquele cara que senta no canto e que ninguém presta muita atenção, mas eu presto, eu presto atenção em cada mania boba.
Tirei a conclusão e há tempos não tinha um ano tão terrível como este. Sinto-me tão solitária.
 “ Todos nós temos um ano ruim ás vezes”, disse a minha mãe tentando ajudar, sinto-lhe informar que não, não ajudou em nenhum dó da sinfonia de tristeza que toca todo o santo dia em mim.
Aconteceu tanta coisa que não sei nem por onde começar sabe, a única coisa que eu espero é que passe um filme descente no dia das bruxas. Tudo mudou e eu não sou a mesma do ano passado, poderia dizer que mais triste e sem motivo.

domingo, 20 de outubro de 2013

she's sad.

domingo, 20 de outubro de 2013

A vida toda é saudade


A saudade é o parente
mais próximo da angustia
e da ansiedade.
Odeio me sentir assim,
abandonada por você.
Você é o meu porto seguro
era...
Era terapêutico ouvir
a tua voz
Eu só queria te ver
hoje, amanhã
e todos os amanhãs
da minha vida.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Comptine d'Un Autre Été

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Segunda-feira

O acaso me deixou tão só.

Talvez isso seja clichê, mas quem não é


Vivo tropeçando, esbarrando nas pessoas e me desculpando, vivo esquecendo as coisas, sempre me acabo me dando mal. Sou um caos, afinal, mas ninguém precisa de um caos, não mais um. Sempre me sinto sozinha independente de onde esteja. Sou insegura, gosto de poucos e poucos gostam de mim, sou fraca e nunca sei onde estou com a cabeça, no mundo da lua, talvez. Bem, também sou triste, muito triste. Transbordo nostalgia.

Sou sentimental, mas eu nunca pedi para que gostasse de mim, eu faço merda pra caramba, cara. Sempre falo as coisas na hora errada, sou um paralelepípedo, por isso ninguém me entende, eu não sou legal e gosto de música triste, sou uma confusão perambulante. 

Escrito por alguém que já se foi..

“De fato, viver não me é mais opção. Pequenas coisas do dia-a-dia vem me sufocando. Não sinto prazer em músicas ou até mesmo escrevê-las, não sinto prazer em realizar, não sinto prazer em sentir… Tentei juro que tentei ser forte e não chorar, mas chorei, chorei até a ultima gota de lágrima. Essa frieza vem me matando, me torturando.A dor me acaba, me consome. O fogo de viver foi se apagando conforme o tempo. Sorrisos se foram, juntamente com tudo que me deixava feliz. Não demonstrar me traz dor, e essa dor acaba comigo… Dor de não poder colocar o devido sorriso ao rosto das pessoas, de não ser suficiente, dor, dor, tudo se resume em dor. Odeio enganar dizendo que esta tudo bem quando na verdade só quero isolar-me do mundo, ficar longe de tudo e todos. Não há dor pior do que a de não sentir. Não existe remédio que amenize isso, quando na verdade, a minha dor é a de não ser feliz. Digo e repito: tentei, juro que tentei… Talvez não foi o suficiente. Sinto me quase um robô sem sentimentos, emoções…
Não sei me aproximar das pessoas, não sei confiar, não sei amar. Minha vida esta embaralhada e literalmente de cabeça para baixo; não sei se vivo ou se apenas existo. Gostaria de gritar, falar, e na verdade me faltam palavras pra me expressar. Queria ter um motivo pra sorrir, ou ao menos ser o motivo de alguém. Tudo me parece supérfluo, irreal, amargo. A vida realmente é parecida comigo, amarga e confusa. Alguns sofrem por amor, outros pela falta dele, alguns na verdade nem sabem o motivo pelo qual sofrem realmente, nada mais faz sentido {…} De fato, viver não me faz mais sentido.” 

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Só sei ser errante

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Bem, parece drama não é? Eu sei, eu sei. Ficar por aí se lamentando por amores impossíveis, presa nesse mundinho ridículo que te louva tanto, é tão patético. Patético. Isso me define, eu sou patética. Na verdade, tem bastante nostalgia no meio, é que eu fico lembrando aqueles teus olhos de ressaca que me fizeram ficar totalmente obcecada por você, que doentio, nossa. Desculpe, é o que eu tenho a dizer, é a única coisa que eu tenho a dizer.
Já são 1h29min e eu estou aqui escrevendo um texto que você nunca irá ler e me lamentando por fazer tudo errado sempre, sou errante.
Não fica bonito encher as pessoas de dramas, mas, afinal, sou eu e nada do que eu faça é certo, se já acertei alguma vez? Sim, mas não tem importância sobre você, sabe, já pensei várias vezes em chegar a você e dizer: “Ei, eu te amo e pra caralho. Desculpe.” Mas como sempre, não tive coragem de fazer e só fiquei te olhando de longe imaginando um impossível dialogo com você.


Eu queria ser alguém que você goste, mas não sei ser, só sei ser eu.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Anormal sou eu, és tu

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Veja bem, me desajustei
Mas e agora? Não sei.
Seja lá como for, mas vivo assim
Anormalidade
O mundo é desigual
Explica-me qual é o problema
Pra quê essa história de ser normal

Help us

Ajuda-me a te entender...
Ajuda-me a te ter de volta...
Ajuda-me a te esquecer.

I want you now, dear

Desculpe-me por ser desajustada, por estar fora dos teus padrões e por não deixar ninguém se aproximar, desculpe-me também por essa minha pose de quem não ama ninguém, não amava até aparecer você, mas por que diabos você foi aparecer? Antes de você ninguém se aproximava de mim, ninguém se aproximaria de uma feminista como eu, mas você ultrapassou a fronteira de perigo e me amou. Desculpe-me por ser tão errada, é que você aí sendo tão corretamente certo que me desconcertou.
Fala sério moço, tu só queres ferrar com o meu coração? Fala sério, tu não queres me amar nem um pouquinho, né? Tu só queres me ouvir dizer as coisas melosas pra depois rir de mim e dizer o quanto fui patética, diga de uma vez, por favor. Não queria que tu me assistisses fracassando como inatingível, afinal, meu coração não é de pedra, não como todos pensavam.
Responda-me, tem como alguém ser errado da maneira certa? Tenho que confessar que aquele dia em que te vi pela manhã toda a tua pose de bom moço foi-se quando te vi agarrado àquele cigarro, mas foi o que me fez querer-te mais. Sinto-me frágil falando sobre sentimentos da minha parte, e tenho que lembrar-lhes caros leitores de que detesto, realmente detesto ser ou me sentir frágil, idiotice? Talvez, mas isso não importa. Oh well, whatever, nevermind.
Durante a madrugada fiquei imaginando várias vezes as tuas palavras doces para mim, teus abraços e todas essas idiotices melosas de namorados, isso se algum dia tu quiseres me namorar, não sei se tu gostas de gatos, mas eu tenho uns, sabe, é para eu não me sentir totalmente sozinha quando estiver ouvindo os meus discos ou somente no restante dos dias. Não querendo ser dramática. (Oh deus, espero que isso não soe dramático demais).
Olha, veja bem, é covardia quando tu chegas e eu estou com aquele meu coque desarrumado, minha camisa velha do Nirvana, sem maquiagem e com cara de quem acabou de acordar e tu vem e me diz que eu tô linda, quer saber? Vá se ferrar, tá?!
E se eu te disser que, por acaso, assim, sabe, de repente, num dia desses me peguei pensando demais em você e tirei a tal conclusão de que te amo? Tu me dirias o que? Iria se assustar, não é? Pois é, eu sei, eu também me assustei, mas cá pra nós, não me deixa sem graça, por que fico vermelha, e diga-me que me ama também. Seria meloso, mas seria bonitinho, bonitinho sim e nada mais que isso. Droga, é pra valer.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Sei que agora tu mora em mim sem saber

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Eu não queria ser responsável pelas tuas lágrimas e você acabou sendo responsável pelas minhas, não queria que tu sofresses por mim e eu acabei sofrendo por ti, não queria também que tu ficasses sozinho, mas foste tu quem me deixou sozinha, foi tu quem foi embora, e por quê? Cê se lembra de que me disse que tinha se apaixonado por mim? Eu também estou, mas tu resolveste desistir, assim, de uma hora para outra sem deixar explicação e eu acabei me apaixonando mais. Eu só não queria ficar longe de ti, muito menos ficar sozinha, não queria que algum dia existisse essa ausência tua e esse vácuo entre nós dois fosse tão grande, sabe moço, existe tanta coisa que eu queria te dizer, dizer que algumas coisas mudaram e que agora eu tenho algo pra dizer quando tu me dizias que tava apaixonado.  Mas, moço, só não te disse antes essas coisas bonitas por que não tinha certeza, sou uma confusão e é assim que as confusões agem, eu só queria que tu arrumasse a minha confusão, mas não sabia de que jeito dizer, eu só tinha medo de te afastar e foi isso que eu acabei fazendo, e eu acabei te querendo mais. Não tenho uma voz que te diga pra voltar, isso por que tu tens outra e isso me mata de pouquinho em pouquinho cada vez que eu te vejo. Nunca quis me sentir assim, dói. Meu coração tava pronto para ser seu, mas eu me esqueci de te dizer, desculpa. Pensei em entregá-lo para outro, só que era teu, o tempo passou e o que tá dentro do meu coração aumentou então eu queria dizer uma coisa que eu não queria que fosse verdade, porque, na realidade nunca quis te amar. 

sábado, 6 de julho de 2013

Never loved you more

sábado, 6 de julho de 2013

Como é amar? Não que eu nunca tenha amado, já amei, mas não como eu o amo, se eu me afasto dele o meu coração vai junto e todas as vezes que eu o revejo parece que é a primeira  vez, me apaixono por ele todas as vezes que o vejo, que ouço a sua voz, que o toco, parece ser tão surreal, nem sei se isso é possível, sabe, se apaixonar pela pessoa toda vez que a vê e quando estamos conversando de repente aquele silêncio invade e eu fico olhando cada detalhe do seu rosto pra deixar bem gravadinho quando eu estiver longe dele que é pra eu ficar lembrando. É um tanto constrangedor, eu sei, mas não posso  evitar.  É tão lindo o tom da voz dele quando está alegre e som da risada dele, ah, como eu amo o som da risada dele, é tão contagiante, peço que cada abraço dure uma eternidade, ele é o tipo de cara que faz com que qualquer problema seja pequeno quando estou entre seus braços, ele me faz sorrir por qualquer besteira e consegue ser tudo o que eu sempre quis, ele é aquele cara que toma lágrimas e sorrisos, ele é o cara que me tem, mas também é o cara que eu não posso ter.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Hurts

quarta-feira, 5 de junho de 2013

As minhas olheiras são tudo o que mostra a minha realidade, café e cigarros logo pela manhã, abro a janela e tudo está cinza, nada tem vida e os meus sentimentos foram para o espaço, não sei o que se fez de mim, o que o tempo fez de mim, tantos problemas e ninguém para ajudar. Só me ouça por um momento e não se vá, as minhas feridas mal cicatrizaram.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Meu destino torto

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Don't walk away, in silence


As coisas não voltam ao normal, a minha dor não ameniza e os problemas tornam a voltar, os dias são longos e tristes e eu me pergunto o que diabos está acontecendo comigo? Eu sinto sua falta e todos os dias eu só preciso de você, já me cansei de dizer que esta tudo bem, as lágrimas escapam descontroladamente e não sei mais onde você está, já cansei de sentir sua falta porque eu só quero você aqui do meu lado. Tudo o que você fez com tudo o que eu te disse foi partir, partir em silêncio. Os dias são doloridos e o meu rosto só mostra a tristeza  e todas as coisas sobre nós estão espalhadas por aí, eu me odeio por te querer tanto mesmo quando você fugiu. Tudo, tudo é tão difícil, não é que eu seja alguma melancólica qualquer é que nunca imaginei que doesse tanto, minha vida cheira à tristeza.

domingo, 26 de maio de 2013

She died of a broken heart.

domingo, 26 de maio de 2013

Tentei de todas as formas possíveis te deixar pra lá, esquecer, mas não tem como, você simplesmente não sai dos meus pensamentos e nem das minhas palavras. Não sei como em tampouco tempo alguém se tornou tão necessário na minha vida, preciso te dizer sobre tudo, mas a distância é maior. Não sei como é possível sentir tanto a falta de alguém como eu sinto a tua, isso está acabando comigo porque tudo o que eu falo é sobre você, é a única coisa que eu me preocupo, tudo me lembra você e é tão confuso que não consigo me expressar claramente sem me enrolar nas palavras, as quais estão me sufocando. Esse meu sentimento é tão confuso que em segundos passo do amor para o ódio e visse-versa, não sei como isso foi acontecer ou porque eu deixei acontecer, é tudo minha culpa por não saber controlar o que eu sinto e interpretar as coisas erradas. Agora eu estou sozinha, eu não quero ficar sozinha, foi tão difícil dizer "Adeus", tudo está destruído e não tem volta, nada tem volta. E o eu sorriso se desfez com o tempo.

sábado, 11 de maio de 2013

I want to hear Beatles with you.

sábado, 11 de maio de 2013

Eu fico pensando que o quanto mais o tempo passa mais eu gostaria de te ver, assim, junto á mim, saudade de ver a tua cara de sono, saudade de te ver todo desarrumado com a camiseta da tua banda favorita. Queria ouvir de novo o teu vocabulário sujo, você e o teu cigarro fazem falta, queria ouvir de novo as tuas bobagens. Você se foi e me carregou junto, pra quê? Por quê? Quero te ver de novo e sentir o teu cheiro, olhar bem a tua cara de mau humor pra decorar de vez. Fico encantada só de lembrar o teu jeito de moleque, quero ouvir as tuas raras palavras meigas. Vê se esquece esse vídeo game e vem.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

sexta-feira, 10 de maio de 2013

O que eu disse antes não vale hoje, vou acumulando o tempo perdido, meus olhos são melancólicos e minhas palavras não cabem nessas linhas minusculas; as funções de matemática atormentam a minha paz. Que nostalgia dos dias que eu sorria sem precisar enganar alguém, me encontro novamente sozinha, como no começo, perdida na multidão enfurecida distante do que eu costumava chamar de lar. E essa tristeza no meu olhar, estou cheia de um vazio que ninguém vai preencher.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Gotye - Somebody That I Used To Know feat. Kimbra

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Caos de mim


Textos incompletos cheios de meias palavras, lágrimas sem sentido e a hora não passa, eu tô perto e ao mesmo tempo tô longe, esse texto não faz sentido porque eu simplesmente não faço sentido. O que é isso? Será que é certo chamar de vida ou é só uma peça de teatro mal feita? Não sei ser atriz, não aprendi a brincar de ser outra pessoa, só sei ser eu mesma, talvez seja isso tudo uma farsa de sei-lá-o-quê, tô perdida na minha vida, sou um caos ambulante transpirando clichês melodramáticos, presa em mundo que nem se quer existe. Merda! Eu perdi de novo, eu perdi você de novo. 

sexta-feira, 5 de abril de 2013

5 de abril e a tristeza

sexta-feira, 5 de abril de 2013


Eu poderia dizer várias coisas melancólicas, mas nenhuma das palavras descreveria tudo o que sinto em relação a ele. Kurt não é só um cantor qualquer de rock, Kurt é um ídolo ou mais que isso e hoje fazem 19 longos anos de sua partida e a minha tristeza é tão imensa que se descreve sozinha. Mais uma voz se calou e corações foram partidos, assim como o meu se parte a cada dia 5 de abril. Sinto sua falta Kurt. Sinto sua falta todos os dias.

sábado, 30 de março de 2013

sábado, 30 de março de 2013

Eram dez horas da noite. A lua estava cheia e a minha vida não tinha sentido. Charles Bukowski

quinta-feira, 21 de março de 2013

Sou mesmo assim, um tanto desorganizada

quinta-feira, 21 de março de 2013

Esse caderno é como se fosse o meu interior. "Mas ele é todo bagunçado". Como eu disse, é como se fosse o meu interior.

Poesia, aquela pela qual eu vivo


Não sei se posso fazer algo diferente a não ser poetizar, ou em outras palavras escrever. Do meu dia-a-dia o que resta são palavras, eu sei que o bater do meu coração é tão poético quanto qualquer palavra minha, transpiro e respiro poesia e sem ela não sei o que seria desse mar de loucuras nomeado como vida, como a minha vida.
As lágrimas que ontem derramei por todo canto hoje é a poesia que ao menos rima, o que sinto não tem nexo, nem bonito , mas o que não é bonito é poético também.

Milhas de distância


Poderia dizer que estou bem, mas estaria mentindo, mesmo que se tu não ouvistes. Tudo está como estava antes, nada mudou exceto que estou num poço escuro onde não há nada além do frio e tristeza, a minha tristeza.
Poderia dizer que na minha vida tu não faz falta, mas você faz tanta falta quanto a criatividade para um escultor ou a melodia para um músico, sem você o mundo não passa de uma esfera grande e chata, pode ser mais do que clichê, mas a minha vida se torna sem cor.
Deveria ter te dito o quanto você se significa e todas as coisas envolvidas com o amor, agora todas essas músicas sobre amor fazem total sentido. Isso é loucura, eu sei, o amor é uma loucura e o fato de estar a milhares de distância me deixa cada vez mais perto da loucura.

Acid rain


Disseram que com o tempo eu iria me acostumar, que todos os sentimentos ruins iriam passar e que eu voltaria logo. Não me acostumei, os sentimentos ruins não passaram e muitos menos voltei, agora me encontro triste e quase morrendo com todas as palavras que não disse.
Me sinto fora do contexto, o ar me sufoca, esse lugar me faz tão mal, gostaria de voltar ao tal lugar que eu costumava a ser feliz, pois a chuva ácida me afeta, minha fisionomia mostra a tristeza profunda, meu interior se tornou em uma tempestade. Não pertenço a este lugar e nem o lugar pelo qual quero pertencer.

A minha tristeza é tão exata


Os dias vão passando depressa, tão rápido que sinto, quase perco os sentidos, estou longe de tudo o que eu costumava me abrigar, tal distância que se parece mais com uma sentença de morte lenta e angustiante.
Tudo a minha volta se move rápido como num piscar de olhos, sinto como se estivesse petrificada, como se tudo a minha volta se move-se exceto eu, mas meu coração se despedaça em uma velocidade incrivelmente avançada. A melancolia que se abriga em mim vai aumentando em fração de segundos. Me vi descrita em uma música, na verdade em uma específica frase: "A tua tristeza é tão exata...". Hoje o dia não está bonito, está nublado assim como tudo dentro de mim e hoje estou um pouco mais morta que ontem, me sinto em um pesadelo no qual demorarei a despertar.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Birdy - Skinny Love

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Como uma canção sem melodia


Talvez eu nem sentisse mais, talvez não tivesse mais coração e as lágrimas ainda insistiam  em cair. Não sei mais como curar as feridas de tempos, pois nem o tempo que é o encarregado de tudo cura, me descobri distante mesmo que eu esteja entre tudo, e como se esquece todo o passado? Como se esquece as coisas ruins da vida? Aliás, tem como? Ouço, de vez em quando, a tua voz me chamando, quase um sussurro sombrio. Estou condenada as dores antigas e as que estão por vir, involuntariamente as lágrimas caiem como uma enxurrada, perdida no meio do nada grito em vão até que talvez alguém posso escutar, eu pedi para que parasse, implorei pra que passasse, mas não passou, não parou. Gostaria de saber como conseguir me safar de toda essa tristeza trancada dentro de mim. "Ora, olhe para luz." Que luz? Nessa escuridão não há lugar para luz, na minha escuridão, no meu eu peço para que alguém ilumine, peço para que alguém me ouça e enxugue as lágrimas e salve uma alma perdida. Porque uma alma fora do corpo é como uma canção sem melodia.
disorder © 2014