sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Teus olhos me fazem falta

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015
Ben, desde quando você se foi as coisas estão mais chatas. O noticiário só diz coisas ruins e aquele senhor gentil das frutas não passa mais por aqui, não tive coragem de ver mais o nosso filme e sempre tento evitar de passar por aquele prédio grande e velho que você tanto adorava. Comprei incensos, apesar de saber que você os odiava, mas você não vai voltar para reclamar deles, não é mesmo? É estranho ir ao cinema e não sentir suas mãos por cima das minhas e nem olhar nos teus olhos castanho claros risonhos. Ben, desde do dia em que você se foi eu acho que as coisas ficaram mais chatas, sinto falta daquelas suas estórias malucas e dos seus livros sobre bruxaria. Você era um louco. Não consigo ver o pôr do sol sem lembrar da sua expressão de deslumbre. Certo dia estava lembrando quando você colocou uma daquelas suas músicas bregas e me puxou pra dançar -mesmo sabendo que sou desastrada- você era um romântico não assumido, mas eu detestava tanto quando você começava a falar como a politica atual estava terrível. Seu cheiro ainda está em algumas coisas, nas quais não tive a coragem de tocar, você sabe que sou tão fraca para essas coisas e custo me desapegar, tanto que ainda não me desapeguei de você. Ben, você me faz tanta falta.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Algo me rasga por dentro.
Algo que me rasga por dentro me deixa incapaz.
Algo que me rasga tão fundo que fico sem forças.
Tenho a sensação de estar sozinha por onde quer que eu vá, tenho a sensação de que nunca irei me encaixar em nenhum canto desse mundo.
Algo está me rasgando mais fundo.
Sinto que nada poderá me salvar se nem sequer eu mesma consigo.
Afasto as pessoas por medo de machucá-las.
Algo me rasga ainda mais.

disorder © 2014