sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

me desculpe

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Deve ser 15 h agora, não tenho certeza. Está um dia nublado e é mais um daqueles dias esquisitos que eu gostaria que nem tivesse começado. Estou triste. Sou triste. Quero ficar em silêncio e me culpar por toda a tristeza, eu me sinto uma escória, a vilã da história, a cruel sem coração. Entretanto, eu não sou, eu sinto, eu choro, eu me crucifico, porém eu não demonstro. Considero os meus sentimentos como uma fraqueza. Sou um monstro por isso, não sou? Mereço morrer sozinha, cheia de amargura, não é?

Cansei das pessoas brincarem com a minha fraqueza, cansei de usarem isso contra mim. É pecado ter medo? Gostaria de cancelar a minha existência, apagar as minhas memórias e as lembranças que os outros têm de mim, e sumir, me tornar parte da constelação, fingir que tudo isso foi um sonho ruim. Foi apenas um erro meu, desculpe-me. Finja que isso nunca aconteceu. Eu nunca aconteci. Deixa o universo encarregado disso, mas só esquece… Por favor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

disorder © 2014