terça-feira, 5 de junho de 2012

Cartas esquecidas no fundo do armário

terça-feira, 5 de junho de 2012

Rose Dewitt - 02/11/1997
[…] Você foi embora, minhas pernas ficaram bambas ao te ver sumir no horizonte. Eu não fui atrás de você, nunca pensei que iria longe de mais, mas foi, não te alcanço. Caminhei de volta ao bar, voltei a nostalgia do som alto. Fugia das suas memorias, me debatia em frente ao teu olhar. O dono do sorriso mais lindo foi embora e não vai mais voltar. A sua princesa, sua boneca de porcelana agora esta jogada no chão, em pedaços. Colecionadora de magoas, com o hobbie de sofrer. Cansada de tudo ou de simplismente sobreviver, essa é a ultima carta que escrevo, que entra para a lista das que nunca te entreguei. Talvez alguém te substitua, o que eu espero ansiosamente, afinal tentei de todas as maneiras e ninguém nunca deu conta do serviço. Vamos encarar, você nunca mudou e a errada da historia foi eu, dever tudo em você menos o que você realmente era. Adeus Jack, estou definitivamente desistindo de você, e consequentemente de mim.
Jack Dawson - 02/11/1997 
Caminhei sem saber aonde iria, você não veio atrás de mim, não se importou com a minha saida, então não voltei. Agora estou jogado no sofá, assistindo teu filme preferido, só quando você foi embora, percebi o valor da sua chegada, eu preciso de você agora. Meu mundo esta escuro, sem sorriso para me iluminar me perdi no caminho. Tua voz doce, era musica aos meus ouvidos. Sinto falta de chegar em casa, cansado e ver você preparando meu prato preferido, você sempre errava, com o rosto e a cozinha todos sujos, ao invez de chorar, você sorria, essa era a melhor parte. Agora esta no bar, pensa que não sei? Com teus olhos azuis profundos encharcados de lagrimas, levanta a cabeça princesa, senão a cora cai. Pensa que te esqueci? Quem dera.. todos os dias imploro aos ceus você de novo, me perdoe por não ser forte o bastante para voltar atrás. Mas se cuide, enquanto não posso cuidar, e se acalme, logo conhecera outro rapaz melhor que eu, que seja tudo o que você sempre quis, e ai com sorte lembrara meu nome. Mas me espere pequena, ainda te encontrarei nas estrelas, combinando com o brilho do teu olhar. Sinto sua falta Rose, se você pular eu pulo se lembra? Não importa aonde quer que formos chegar.Sofia Soares (aquelagarotailudida)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

disorder © 2014