quarta-feira, 16 de maio de 2012

Carta de uma louca suicida, encontrada amassada ao lado da banheira. 14 de maio de 1994, Nova York.

quarta-feira, 16 de maio de 2012



Escrevo no papel, nesta carta, palavras que talvez possam parecer sem sentido pra você, mas para mim é uma forma de expressar pela ultima vez meus sentimentos frustrados. Sou fraca, por recorrer ao papel, mas sinto que as pessoas são também fracas e inúteis demais para me ajudarem, ou sequer para perceberem o que se passa à minha volta. Mas na verdade elas nunca tentaram saber o motivo dos meus choros repentinos, somente me julgaram como louca. A louca que se isola de todos, que chora calada e sem motivos. Sem motivos? O meu mundo está de pernas para o ar e ainda me dizem que é sem motivos? Vocês são verdadeiramente um bando de idiotas. Sinto nojo das pessoas… Como podem elas cometer tão grandes erros, e não conseguir perceber o que cometeram? Sinto-me perdida em meio a tanta gente falsa e hipócrita. Estou rodeada de pessoas e ao mesmo tempo, tão só. Lembro-me perfeitamente das tardes gélidas de domingo, quando tudo parecia frio principalmente meus sentimentos, e é claro mais uma vez ninguém se importou com os melodramas da louca. As palavras machucam, acredite, e depois de tanto sofrer eu mudei e talvez a mudança tenha me trazido a loucura, ou melhor, a realidade que não conhecia. Passei a ver o mundo com os olhos da realidade, percebi que ninguém é feliz são somente mascaras que escondem o sofrimento. Mas que saber, eu cansei. Não aguento tudo isto, sinto que esta vida não foi feita para mim, e que estarei melhor noutro local qualquer. Pai e mãe me desculpem, mas será melhor assim acreditem. Já estou morta faz tempo – mas ninguém percebeu, somente irei acabar com a história logo de uma vez. Quando lerem isso, acredito que já estarei morta, finalmente estarão livres deste encosto. Chega, já perdi tempo demais neste mundo, cansei das pessoas, cansei dessa vida. E por ultimo quero deixar umaviso: ‘cuidado!’, vocês poderão seguir o caminho desta louca que vos escreve, afinal, o suicídio começa por dentro. Adeus - Kah (Carrossel-Florido)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

disorder © 2014