quinta-feira, 17 de maio de 2012

quinta-feira, 17 de maio de 2012
Eu sei, é clichê, não é? Uma garota escrevendo sobre seus persistentes sofrimentos? Mesmo assim, aqui estou eu desabando em lágrimas, depositando meus sentimentos na esperança de que alguém compreenda um dia, eu também estava lá, deitada, sendo encharcada pelo meu próprio sangue, esperando aquela tal luz que as pessoas dizer ver quando a morte se aproxima, lá estava eu, borrando meus olhos com lágrimas que escapavam sem parar, eu já não sentia mais aquela lâmina que cortava meu corpo aos poucos me fazendo sangrar até que não houvesse mais nenhuma vida em meu corpo, eu queria conseguir parar, eu queria ser mais forte, mas isso se tornou um refúgio pra mim, uma forma de aliviar boa parte da dor que domina meu coração. Eu estava lá, a todo tempo, pedindo ajuda a alguém que parecia se importar, mas eles nunca me enxergavam, nunca entendiam nada através do meu silêncio e daquele meu olhar triste e cansado… Eu tentei ser mais forte, tentei procurar felicidade nas pequenas coisas da vida, pena que os problemas eram sempre maiores, eram sempre superiores a qualquer alegria que surgisse em minha vida. Me sentia como um pequeno ponto preto e branco numa sociedade colorida de pessoas alegres e sorridentes e eu era somente mais uma garota estranha entre tantas que se sentiam perfeitas. Nem mesmo quem dizia me amar esteve ao meu lado, ao contrário, me deram as costas e deixaram com que eu sofresse tudo aquilo completamente só. Não é ato que me isolo todo o tempo, eu não faço falta, nunca fiz, isso é perceptível, eu não sou amada nem mesmo por quem eu estou dando a vida… Mas tudo bem, as pessoas sempre acabam dando valor ao perder aquilo que antes elas nem mesmo enxergavam, será assim comigo também, quando derem falta de mim, onde eu estarei? Distante, onde ninguém pensará em me procurar, onde ninguém mais partirá meu coração em pedaços com palavras e atitudes impensáveis. Um dia todos irão sentir minha falta, porém nenhum deles jamais me verá de novo, jamais brincará comigo de novo.
E isso é apenas é um aviso, cuide de quem pede a tua ajuda, pois você pode ser a última esperança pra alguém que está desistindo da própria vida, cuide, pois um dia pode ser você, lá, desamparado, sem ser ouvido por ninguém… - Stéfanny X. (theforgiveness)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

disorder © 2014